Extração do Siso

O siso, conhecido por ser o terceiro molar, é o último dente a nascer na cavidade bucal. Dá sinais de vida entre a adolescência e vida adulta e é responsável por gerar incômodos. Devido ao fato de ser o último a despontar na boca, é comum que não tenha espaço para seu nascimento, sendo necessária sua retirada, para que não ocorram problemas. O siso que não for retirado, pode se tornar alvo de bactérias, trazendo grandes complicações para a saúde bucal como cáries, infecções nos dentes e gengivas. Além disso, o siso que está em fase de crescimento e consequentemente não tem lugar para nascer, irá gerar uma pressão em outro dente mais próximo a ele, causando danos a raíz, podendo ser de natureza total ou parcial.

Outro fator que pesa na decisão da retirada do siso, é a possibilidade de infecções corporais. Por que corporais? Pelo simples fato de a boca conter ligações diretas com outros órgãos. Assim, infecções que estão alojadas na boca, através da corrente sanguínea, podem se instalar em outros órgãos. É comum, pacientes de profissionais da área da saúde, relatarem que ficam doentes seguidamente e nunca ficam curados, e ao investigar a situação, na maioria dos casos o problema está na boca, sendo uma ferida ou até mesmo cáries e infecções.